Conciliação: Cejusc da Comarca de Água Branca resolve ação envolvendo partilha de bens

O Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) da Comarca de Água Branca pôs fim a uma desavença familiar que se arrastava há quase seis anos no município. Trata-se de um inventário (processo de nº 0000210-96.2013.815.0941), em trâmite desde 2013, e que teve uma solução pacífica depois de mais de duas tentativas de Conciliação. A audiência ocorreu na sede do Cejusc da cidade.

De acordo com o juiz Pedro Davi Alves de Vasconcelos, coordenador do Centro em Água Branca, o processo tramitava na Vara Única da Comarca do município, mas as próprias partes buscaram o Cejusc para uma audiência de conciliação, chegando, assim, a um acordo quanto à partilha dos bens do espólio. A sessão foi conduzida pelos conciliadores  Jhôse Evelyn e Thiago Marreiro, sob a supervisão do magistrado.

“Esse acordo é bastante simbólico, não somente pelas circunstâncias da relação processual em si, mas também porque revela um cenário de sucesso do Centro. A unidade, embora tenha sido inaugurada recentemente, foi procurada de maneira espontânea pelas partes, que estavam predispostas à conciliação”, explicou o magistrado, acrescentando que outros litigantes da região já acionaram o Cejusc com o mesmo objetivo.

O juiz destacou, ainda, que a atuação do Centro já repercute na Comarca, na medida em que os interessados começam a assimilar que a conciliação é mais proveitosa do que a espera pelo deslinde de um processo, que pode durar anos. “É a política de conciliação inaugurada pelo CPC em vigor, sendo vista na prática. A atuação dos conciliadores, devidamente capacitados pelo Nupemec, foi fundamental para a convergência entre as partes”, ressaltou Pedro Davi.

Fonte: TJPB/Celina Modesto