Esforço concentrado analisa 6 mil processos na Paraíba

 

Em torno de seis mil processos das Varas da Execução Penal de João Pessoa, Patos e Sousa estão sendo analisados em um esforço concentrado de juízes e serventuários da Justiça, iniciado na segunda-feira (18/2), no Fórum Criminal na capital. A ação marcará a primeira etapa do projeto Justiça em Dia, do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), que visa à celeridade processual e contribuir para desafogar e melhorar o sistema carcerário, garantindo o direito do apenado.

O Justiça em Dia foi proposto pela Presidência do TJPB. A desembargadora-presidente, Fátima Bezerra Cavalcanti, criou o Grupo de Esforço Concentrado para contribuir com a celeridade processual. A primeira atuação desse núcleo será nas Varas das Execuções Penais e objetiva a atender as orientações do Conselho Nacional de Justiça, que tem como meta acelerar os julgamentos e reduzir o acúmulo processual. Os mutirões na área criminal vão analisar os processos relacionados a presos, que vêm provocando superlotação do sistema carcerário.

“A análise desses seis mil processos se aterá à possibilidade de concessão de direitos que o preso tem em razão da progressividade da pena. Ou seja, ao benefício do regime fechado para o semiaberto, do semiaberto para o aberto, a concessão do livramento condicional, do indulto, comutação de pena e remissão de pena. Esses são direitos que o preso tem e que precisam ser analisados”, explicou o juiz Carlos Neves da Franca, coordenador do Grupo de Monitoramento de Fiscalização do Sistema Carcerário.

Diferencial – O esforço concentrado das Varas da Execução Penal terá um diferencial porque essas unidades judiciárias trabalham com o processo eletrônico, o E-Jus VEP, o que facilita as atividades e possibilita que o trabalho seja concentrado em João Pessoa.

O Tribunal de Justiça solicitou o apoio do Ministério Público e da Defensoria Pública, sem os quais não seria possível dar a agilidade que a Justiça precisa na garantia do direito do apenado. A Defensoria se colocou à disposição a partir da implementação de um esforço nas Penitenciárias. O Ministério Público ofereceu o reforço da sua estrutura vinculada às Varas da Execução, a fim de que os órgãos possam agir conjuntamente.

“O esforço concentrado deverá envolver em torno de 30 pessoas, incluindo servidores, assessores e juízes designados. O dispêndio será o menor possível para o pessoal, porque não haverá necessidade de deslocamento para Patos e Sousa. O processo é virtual e vamos trabalhar aqui de João Pessoa. Os servidores terão que trabalhar em regime de hora extra, mas não haverá necessidade de pagamento de diárias e, com isso, o tribunal vai economizar”, reforçou Carlos Neves.

Outras etapas – Segundo explicou o magistrado, o Justiça em Dia atuará nas demais áreas do Tribunal de Justiça, a exemplo das Varas Cíveis e de Fazenda Pública. No entanto, vencida a primeira etapa, serão definidas novas datas para a análise dos processos das Varas da Execução Penal para atingir outros municípios, como Campina Grande, Santa Rita, Guarabira, Catolé do Rocha e Cajazeiras.

Fonte: TJPB