Núcleo de Conciliação do TJ reúne representantes do Santander e da OAB para definir mutirão

Mais uma instituição bancária, desta vez o Santander, terá mutirão de conciliação para resolver demandas do banco com seus clientes, que será realizado pela Câmara de Conciliação e Arbitragem do Tribunal de Justiça da Paraíba, em parceria com estudantes do curso de Direito do IESP, FESP Faculdades, UEPB (Guarabira) e Facisa (Campina Grande). Os detalhes foram acertados durante reunião, na manhã desta sexta-feira (20), na sede do Núcleo de Conciliação, que contou com a participação dos juízes Bruno Azevedo e Gustavo Procópio, diretores adjuntos do Núcleo, Mário Borges, representante do Santander, e Tiago Azevedo, presidente da Comissão de Mediação e Arbitragem da OAB/PB.

Conforme explicou o juiz Bruno Azevedo, os mutirões de conciliação envolvendo demandas bancárias vêm sendo desenvolvidos com o intuito de desafogar o Judiciário, proporcionando a solução de pequenos conflitos de forma mais rápida e menos burocrática. A iniciativa, também, faz parte de uma ação nacional do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que vem sendo concretizada, na Paraíba, pelo Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, dirigido pela desembargadora Maria de Fátima Morais Bezerra Cavalcanti.

“O Banco Santander vendo as iniciativas do Tribunal de Justiça a partir de seu Núcleo de Conciliação, em fomentar as formas extrajudiciais de conciliação, negociação e arbitragem nos procurou para, junto com os diversos cursos de Direito, no qual o Tribunal mantém parcerias, fazer um mutirão da conciliação com o banco, que está previsto para a segunda quinzena de maio”, explicou o juiz Bruno Azevedo.

Para o representante do Santander, Mário Borges, a ação do TJ é muito positiva e importante. “Após todas as nossas conversas com o Tribunal de Justiça, criamos uma diretoria de negócio e recuperação, e ela tem esse vínculo de tentar trabalhar ao máximo a questão da recuperação do crédito não judicial. Eu acho muito importante e que a Paraíba já vem tendo destaque. Esse trabalho em conjunto vai tentar ao máximo ajudar aquelas pessoas endividadas que neste momento precisam de um direcionamento”, destacou.

A Ordem do Advogados do Brasil Seccional Paraíba também vem participando dos mutirões da conciliação. De acordo com o presidente da Comissão de Mediação e Arbitragem da Ordem, Tiago Azevedo, os advogados estão capacitados para atuarem nas várias audiências realizadas. “Nosso trabalho aqui é levar ao conhecimento dos advogados os meios extrajudiciais na solução de conflitos e evitar que vários litígios sejam judicializados”, ressaltou Tiago Azevedo.

Pioneirismo – O juíz Gustavo Procópio, diretor adjunto do Núcleo de Conciliação, destacou como pioneiro o trabalho que vem sendo desenvolvido pela atual administração do Tribunal de Justiça, na realização de mutirões para solucionar conflitos e ajudar pessoas a recuperarem seus créditos. O magistrado destacou ainda que o Núcleo, que foi criado na gestão do desembargador Abraham Linconl, tem levado à frente as ações desenvolvidas pela desembargadora Maria de Fátima Bezzera, diretora do Núcleo de Conciliação, no intuito de estruturar e implantar no TJ a cultura da paz.
TJPB/Gecom/Lila Santos