Semana Nacional de Conciliação será aberta com o Mutirão DPVat em Campina Grande

A Comarca de Campina Grande e outras unidades judiciais do Estado realizarão, na próxima semana, esforço concentrado para buscar a conciliação envolvendo os processos do Seguro DPVat. O evento abrirá a Semana Nacional de Conciliação, que acontece de 2 a 6 de dezembro.

O DPVat é um seguro concedido a pessoas vítimas de acidente de trânsito. Ao todo, estão em pauta mais de mil processos. As unidades que vão realizar o Mutirão, além de Campina Grande, são Alagoa Nova, Areia, Boqueirão, Esperança, Ingá, Juazeirinho, Picuí, Pocinhos, Queimadas e Soledade.

A juíza coordenadora do Núcleo de Conciliação de Campina Grande, Déborah Cavalcanti, informou que desde segunda-feira (25) estão sendo intimados os advogados das partes, pelo Diário de Justiça. Caso algum advogado não tenha recebido o convite de comparecimento, e seja do interesse do cidadão tentar a conciliação, ele poder tentar encaixe.

“É provável que ele esteja agendado. Mas caso isso não ocorra, a parte deve falar com seu advogado e demonstrar interesse. Desta forma o advogado fará a carga e vai retirar o processo e levar até o mutirão”, explica a coordenadora. Ela ressalta ainda que só poderá buscar encaixe quem tiver com a contestação em mãos, junto com o processo.

O evento acontecerá no BNB Clube, localizado na Av. Elpídio de Almeida, nº 1.371, no bairro de Catolé, em Campina Grande. Estão envolvidos 32 servidores, 5 juízes, 8 peritos e 40 conciliadores. A juíza ressaltou que o evento é grande e acontece em parceria com a Empresa Líder.

Os horários são de 8h às 12h e de 14h às 18h, nas 20 bancas, com atendimento por ordem de chegada. Na segunda-feira, 2 de dezembro, até quarta-feira (4), estão previstos conciliações apenas dos processos de Campina Grande. Nos outros dois dias, 5 e 6, do mesmo mês, das demais localidades.

Semana da Conciliação – É uma ação desenvolvida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em parceria com todos os Tribunais do país. O objetivo do evento é promover acordos conciliatórios e disseminar a cultura da paz e do diálogo, desestimulando condutas que tendem a gerar conflitos.

Por Karina Negreiros (estagiária)